ANTI CINEMA O QUILOMBO DIGITAL

Box Anti Cinema comprado na feira !


MusicPlaylistRingtones
Create a playlist at MixPod.com

domingo, 30 de novembro de 2008

Meeting of Favela 2008

Essas são algumas fotos do Meeting of Favela dos irmãos Bob e Kajaman, essa é a parada fomos lá pra fortalecer Coletivo Anti Cinema, Artefeito e Posse 471. Somos Baixada essa é parada e tamo junto até o fim. Bob e Kaja pode contar comigo nos próximos eventos conheço vocês a um tempão e é isso ai fico muito feliz com iniciativa. Coletividade é isso ai cada um fortalecendo como pode vindo por um lado e somando. Parabéns pela iniciativa. Marcio Graffiti, Coletivo Anti Cinema.

sábado, 29 de novembro de 2008

Mídias (Sub) Urbanas em São Paulo

Alô Cambio, Bip Bip... Galera durante o dia 08 ao dia 13 de Dezembro, estarememos realizando uma oficina de Audio Visual no Sesc Consolação em São Paulo, ministrada por Marcio Graffiti. Tamos ai Coletivo Anti Cinema invadindo o mundo. Informações no link. Ass: Marcio Graffiti. Bip Bip, Câmbio final e desligo. Segunda a Sexta no Sesc Consolção 08 à 13 de dezembro de 2008 de 17:30h às 20:30h

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Meeting of Favela 2008

Mais uma parceria do Coletivo Antri Cinema estaremos lá dando uma força essa é parada, Anti Cinema apoia e aplaude de pé iniciativas como essa. Valeu Bob e Kaja Posse 471. Tamos ai. A revolução é por ai amigos é nos fortelecermos pra mudar essa porra. Tamo junto nas comunidades e morros deste Brasil.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Natal na tinta

Anti Cinema apoia esta iniciativa.
Familia S.A apresenta : Natal Na Tinta - Evento Beneficiente dia 13 de dezembro as 10 hrs da manhã end.: Rua Luiz Sá ( em frente ao shopping Ilha Plaza ) Village - Ilha do Governador cada grafiteiro , deverá levar 2kg de alimento não perecivel q será doado para alguma instituição , ainda não definida visitantes também poderão doar ! Ônibus : 910, 901, 328, M93, 322, 634, M92, 696 (soltar no ponto atrás do Ilha Plaza) M92, 324, 326 (soltar em frente ao Shopping Ilha Plaza) Contatos : 8582 5150 / 8316 5672 Monk 78493245 Bilson 94525947 Hoc 98482334 Nud

terça-feira, 25 de novembro de 2008

São Vários tá no ar !

O som do parceiro K-bide tá ai pra geral baixar. São vários é o nome do som e tem a partcipação de Mr. Break. E logo logo o video clipe do K-bide vai tá no ar ai pra galera baixar. O link tá ai quem quiser pegar o som já é. Valeu K-bide tamo junto perceiro. Baixada Fluminense, XV Represent e Anti Cinema.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

A cada viagem uma lágrima semedada.

Para mim ser Anti Cinema é multiplicar o conhecimento, é estar sempre disposto a filmar e fazer um trabalho diferenciado para mostra que é posivel sonhar. São muitos os nossos horizontes cada um tem o seu mais todos nós nos ajudamos na coletividade. Hoje me sinto feliz em fazer parte deste projeto. Por que a cada viagem que faço seja para fazer oficina ou para fazer uma palestra ou debate sobre Hip Hop tenho a oportunidade de trocar vivências experiências e projeções a longo prazo. Para mim Anti Cinema é ser mais que o Anti Cinema é ser Anti Cinema. É chegar e fazer algo diferenciado com o coração e com a alma. é fortalecer os mais necessitados, é viajar pelo mundo com uma posposta nova e inovadora causadora de impactos sociais. Isso é ser Anti Cinema. Valeu pessoal do Elo Amigo Iguatu, Ceará, tamos junto e eu vou voltar a missão ainda não terminou. Agradeço a todos aqueles que nos apoiam e tão na luta com agente.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Coletivo Anti Cinema em Iguatu, Ceará. Cinema no Ceará.

Alô Cambio ! Galera aqui que fala é Marcio Graffiti tô em Iguatu com a irmã do Recife Jaqueline realizando uma oficina de áudio visual, a galera aqui é muito empenhada e quer aprender. Montamos uma estrutura para realizar um filme de ficção e um documentário. Amanha começamos a filmar as equipes foram divididas e vejo que o pessoal daqui tem um futuro muito promissor na areá do áudio visual. Aqui tem cenários incríveis para fazer filmes, cito a cidade de Crato e Juazeiro do Norte. Tamos ai Coletivo Anti Cinema multiplicando o conhecimento. Galera segue umas fotos para que vocês possam ver o que tá acontecendo por aqui. Coletivo Anti Cinema sempre. Vamos hermanos oxe ! Câmbio desligo. bip, bip...

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Mais uma oficina acontecendo no projeto Mídias Sub Urbanas essa oficina acontece no Sesc de Ramos. E estou achando que essa é uma das melhores oficinas que ministrei na minha vida. Galera estou feliz com que estou fazendo multiplicando o conhecimento para outros jovens que querem mudar a relizade da sua comunidade e fortalecer um coletivo Áudio Visual. Marcio Graffiti Coletivo Anti Cinema. Valeu galera vamos nos organizando. Vamos fazer a diferença.

domingo, 16 de novembro de 2008

TONY BIZZARO NO RIO DE JANEIRO !

O COLETIVO ANTI CINEMA FOI CONVIDADO PARA DAR UMA FORÇA PARA O NOSSO QUERIDO IRMÃO E ENTREVISTADO DO FILME FUNK-SE TONY BIZARRO ! VAMOS ESTAR LÁ DANDO ESSA FORÇA ! TAMO JUNTO TONY. E VIVA AO SOUL.

“Light graffiti” - Graffiti com luz

Se o stopmotion é conhecido como uma divertida técnica de produção artesanal, o que dizer do light graffiti? “Light graffiti” é uma tendência relativamente nova de arte de rua que combina o uso de várias fontes de luz (lanternas, LEDs, etc.) e tempo prolongado de abertura do expositor na câmera para criar imagens. O grande barato deste novo tipo de arte é que o resultado é tridimensional e o artista pode usar vários elementos da paisagem que no graffiti normal não conseguiria. Veja o resultado: LICHFAKTOR são os caras que têm ficado conhecidos por aplicar o light graffiti em suas produções, que são muito legais.

sábado, 15 de novembro de 2008

Laser Tag ! Essa é para o grafiteiros digitais

Você já ouviu falar em LASER TAG? A técnica utiliza-se de projetor também, entretanto é interativa, no sentido de que você produz o desenho/arte que quer. Vídeo sobre LASER TAG: TAI O MATERIAL NESCESSÁRIO PARA FAZER. Equipamentos necessários: 1 PC Laptop - ASUS A8JS - Core 2 Duo 1.83 Ghz 1GB Ram Nvideo Geforce Go 7300 256MB - VGA and DVI out. 1 Pansonic PTD5600U 5000 ANSI Lumens 1024x768 DLP Projetor. 1 Watec 221S Security/Astrononmy Camera with manual iris zoom lens.( Programa ) 1 Bogen magic arm and super clamp. 1 Pinnacle PCTV USB placa de captura. 1 60mW Green Laser Verde com pilhas quanto mais pilhas melhor pois você com certeza vai querer varar a noite rabiscando tudo por ai sem sujar e sem prejudicar ninguem. PROGRAMAS PARA LASER TAG TA AQUI ! Laser Tag 2.0 Software Download - Updated for Leopard and Vista Laser Tag 2.002 Mac App 0S X 10.4 + 10.5 - Optimized!! (Feb 2008) Laser Tag 2002 PC App - XP and Vista - Update for Camera settings Fix (Feb 2008) Laser Tag 2.0 Source Code XCode Project (needs Xcode 2.4 or greater) (Updated Feb 2008) Visual Studio 2005 Project (Updated Feb 2008) A PARADA É ESSA INITERVEÇÕES URBANAS O POVO PRECISA DISSO !

PROJETOR FEITO EM CASA

Aeee.. achei um manual em português pra fazer um projetor.. Tá em PDF.. é só baixar.. www.armarinhocristina.com.br/manuel.zip Digita o link e ele já vai abrir o arquivo zip para você salvar. Anti cinema é isso ai galera. Tá ai pra geral ver e fazer. quem não pode comprar faz acho que vale a pena. Meio complicadinho desse modo, mas vale a pena pra fazer projeções dentro de casa. Se for fazer na rua perde muita qualidade acho! Tamo junto MARCIO GRAFFITI

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

12 de novembro 35 anos de hip hop

E tudo começou com um par de toca discos... Hoje é o aniversário oficial do hip hop, considerando a fundação da Zulu Nation (12/11/1973), primeira organização de hip hop, fundada por Afrika Bambaataa, que uniu os quatro elementos, nessa data deixo um salve a todos os amantes da verdadeira cultura HIP HOP e a palavra fica com o próprio pai da matéria: DJ Kool Herc! "Quando eu comecei no DJing lá nos 70, era algo que a gente fazia por diversão. EU vim pela "escolah popular", da rua. Se o povo gosta de você, eles vão te ajudar e o teu trabalho vai falar por si. As festas que eu dei aconteceram e pegaram. Viraram um rito de passagem para os jovens do Bronx. Então a geração mais jovem entrou e começou a colocar seu estilo no que eu havia começado. Eu coloquei o alicerce, e todos os arquitetos começaram a colocar este e aquele andar. Logo, antes que a gente mesmo notasse, a coisa começou a desenvolver. A maioria das pessoas me conhece como DJ Kool Herc. Mas quando eu me apresentava às pessoas, eu só dizia que meus amigos me chamavam de Herc. Mais tarde eles podiam perguntar: "Você é aquele Herc?". A minha coisa é: venha me conheça como eu sou. Minha cabeça não tá decepada, eu não tento enfrentar as pessoas. Se você gosta do que eu faço, se gosta de mim tocando música ou fazendo festas, hei, isso é o que eu faço pra meus amigos e o povo. Isso é o que eu sempre fiz. Pra mim, hip hop diz, "Venha como você é". Nós somos uma família. Não é sobre segurnaça. Não é sobre bling-bling. Não é sobre o quanto sua arma pode atirar. Não é sobre tênis de U$$ 200. Não é sobre eu ser melhor que você ou vocÊ sendo melhor do que eu. É sobre eu e você, conectando um ao outro. É por isso que tem apelo universal. Deu ao jovem um jeito de entender seu mundo, não importa se estão no subúrbio ou no centro. Hip Hop també criou muito empregos que de outro jeito não iriam existir. Mas ainda mais importante, eu acho que o hip hop fez uma ponte em uma brecha cultural. Aproximou jovens brancos e negros, marrons com amarelos. Todos eles têm algo em comum que amam. Ele passa dos estereótipos e pessoas se odiando por causa desses estereótipos. As pessoas falam sobre os quatro elementos do hip hop: Djing, B-Boying, MCing e Graffitti. Acho que há muito mais do que isso: o jeito que você caminha, o jeito que fala, o jeito que olha, o jeito que se comunica. Na minha época, tinhámos James Brown, cireitos civis e black power, você não tinha pessoas se chamando de ativistas do hip hop. Mas essas pessoas hoje estão falando sobre sua época. Elas tem o direito de falar do jeito que vêm as coisas acontecendo. Hip Hop é a voz dessa geração. Mesmo se você não cresceu no Bronx dos anos 70, hip hop está lá pra você. Virou uma força poderosa. Hip hop une todas essas pessoas, todas essas nacionalidades ao redor do mundo juntas. Mas a geração hip hop não está fazendo o melhor uso do reconhecimento e da posição que tem. Nós percebemos quanto poder o hip hop tem? A geração hip hop pode ter uma posição coletivamente e fazer uma declaração. Há muita gente que está fazendo algo positivo, que estão fazendo hip hop do jeito que deve ser feito. Estão alcançando jovens, mostrando a eles o que o mundo pode ser : gente vivendo junta e se divertindo. Mas muito frequentemente, aqueles que tem o maior reconhecimento são aqueles enfatizando o negativo. E acho que muita gente tem medo de falar dessas paradas. "Manter a real" (keep it real) virou só mais uma frase cansada. Soa legal. Mas tem sido prostituída e pervertida. Não é mais sobre manter a real. É uma questão de manter do jeito certo (keep right). Por exemplo, rappers querem ser tão "bling-bling". Você tá mesmo vivendo uma vida de luxúria? VocÊ não tem outros problemas? Que coisas te tocam? É sobre isso que queremos ouvir os rappers falando. Comece um diálogo com o seu povo. Fale sobre coisas acontecendo na sua vizinhança. Música é às vezes um remédio (uma fuga) pra realidade, e a única vez em que você consegue um diálogo é quando uma tragédia acontece. Quando Tupa, Biggie ou Jam Master Jay morreram foi quando as pessoas quiseram ter um diálogo. Era tarde demais. Não há pessoas suficientes usando o hip hop como uma forma de lidar com coisas sérias, como uma forma de tentar mudar coisas antes da tragédia atacar. Nós temos o poder de fazer isso. Se Jay-Z sair um dia com a camisa de tal jeito ou LL Cool J sair com uma perna da calça enrolada, no outro dia todos estão fazendo a mesma coisa. Se decidirmos um dia dizer que não vamos matar alguém sem razão alguma, todos seguirão. Eu não quero ouvir pessoas dizendo que não querem modelos de comportamento. Você pode já ter a atenção do meu filho. Vamos deixar isso claro. Quando eu digo pra ele, "Não ande desse jeito, não ande daquele jeito", você está andando daquele jeito e falando daquele jeito. Não seja como um traficante, como um assaltante qualquer. Corta essa merda. Isso é fuga. Essa é a saída fácil. Você tem a atenção das crianças. Eu estou te pedindo pra me ajudar a criá-los. Você pode estar vivendo bem. Mas se você sair da vizinhança, havia alguém pra te guiar lá quando você precisou, alguém que disse, "Filho, aqui estão dois dólares". Você pode ter nocauteado o guetopra sair dele, mas o que fez pelo gueto ultimamente? COmo você pode sair do nada pra ser algo, e ao mesmo tempo, continuar se sujando pra ter isso tudo? Hip Hop sempre foi sobre se divertir, mas é também sobre ter responsabilidade. E agora temos um palanque para falarmos por nós mesmos. Milhões de pessoas estão nos olhando. Vamos ouvir algo poderoso. Falar às pessoas o que elas precisam ouvir. Como vamos ajudar a comunidade? O que nós queremos? O que aconteceria se levassemos a geração hip hop a votar?, ou a formar organizações para mudar as coisas? Isso seria poderoso. Hip Hop é uma família, então todos tem que entrar nisso. Leste, Oeste, Norte ou Sul - nós viemos de uma costa e essa costa era a África. Essa cultura nasceu no gueto. Nascemos aqui para morrer. Estamos sobrevivendo agora, mas ainda não estamos crescendo. Se temo um problema temos que corrigí-lo. Não podemos ser hipócritas. É isso que espero que a geração hip hop possa fazer, levar todos nós para o próximo nível sempre nos lembrando: É tudo sobre manter a real, é tudo sobre manter o correto." DJ Kool Herc

Kamau canta "A quem possa interessar"

TIRO O CHAPÉU PARA ESSE CARA. E DE FUNDO O IRMÃO FALECIDO ESSE ANO DJ PRIMO. VALEU PRIMO VOCÊ DEIXOU BEM MAIS QUE SAUDADE QUANDO SE FOI. VALEU KAMAU QUEBROU TUDO

Essa frase é foda !

Da vida agente leva a vida só, aproveite você tem uma vida só pra sonhar, sofrer, tentar, fazer errar, aprender a viver Valeu Kamau e Rael da Rima !

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Anti Cinema no canal Futura.

Hoje realizei uma entrevista para o canal Futura falando sobre o Coletivo Anti Cinema e falando tambem sobre projeto Mídias (Sub) Urbanas. Filmes feitos no celular, máquina fotográfica e mini dv ! É isso Coletivo Anti Cinema, gostaria de agradecer a galera da Fase e Fase Saap, a galera do Sesc Rio de Janeiro e a todos que fortalcem o Coletivo Anti Cinema. Tamos ai fazendo a diferença. Obrigado Marcio Graffiti

Vozes da América

Felix del Guarani e Alfredo Guachiré Anti Cinema del Paraguay

La rosa de los vientos - makiza - anita tijoux ! Chile

Makiza, rap chileno !

Makiza es un grupo chileno de hip-hop nacido en 1997. Su nombre proviene de la palabra francesa "maquisard" que significa del francés "guerrillero". Nace en 1997 cuando Anita, Seo2 (voz), Squat (Dj) y Cenzi (música) deciden formar una agrupación de hip-hop. Todos ellos formaban parte del colectivo "Demosapiens", dedicado a cultivar el hip-hop en Chile. En el año 1998, y luego de haber recorrido los escenarios underground santiaguinos, (junto a Tiro de Gracia y La Pozze Latina), sacan su primera producción llamada "Vida Salvaje" que salió en forma independiente. La controversia que causaron sus letras, lleva al grupo a firmar con Sony Music en 1999 y poder sacar su segundo disco, bautizado con el nombre de “Aerolíneas”. Esta grabación impactó desde su primer single, "La Rosa de Los Vientos", el cual toca temas que eran tabú como la vida en el exilio. Después de este, el cuarteto causó mucha polémica con su segundo single "En Paro", donde atacaban a personas de figuración pública que colaboraron con la dictadura militar de Augusto Pinochet. A finales del año 2000 se produjo un quiebre en el grupo: Anita partió rumbo a Francia a probar suerte. Allá se sigue desarrollando en la escena underground. Squat migra igualmente a París, pero como miembro del grupo Pánico, con quienes aún trabaja. Cenzi y Seo2 conforman Némesis y editan dos discos, "Justicia Divina" (Sony Music - 2001) y "Hip-hop Héroes" (Aguasónica Producciones - 2003). En marzo del año 2004 Anita y Seo2 deciden juntarse nuevamente para grabar 2 temas y hacer un concierto, el cual llamaron "La Re-Unión". Se integran al grupo dos nuevos miembros: Sonido ácido y Dj Caso (scratch y Producción Musical). Debido al éxito que tuvo el evento, deciden seguir con el proyecto Makiza. Luego de varios meses de composición y shows, Dj Caso se aleja del grupo y cede su puesto a su colega Dj Nakeye. El mes de octubre de 2005, fue el elegido para que la agrupación lanzara su nueva producción, "Casino Royale", la cual sigue una línea más madura y elegante. El primer single de esta producción fue “Las cosas de la Vida”. Su segundo single fue "Todo va más lento", el cual cuenta con un video clip. En septiembre de 2006, Seo2 decide dejar la agrupación por motivos personales. En el 2006 forman parte del disco "Homenaje a los Jaivas" con la canción "¿Dónde estabas tú?". 1998 - Vida Salvaje (Independiente) 1999 - Aerolíneas Makiza (Sony Music) 2004 - Vida Salvaje Remasterizado (Aguasonica Producciones) 2005 - Casino Royale (La Oreja)